PF interdita fábricas de tradicionais produtores de licor em Cachoeira

Foto de Redação Salvador FM

Redação Salvador FM

Bahia

22 de junho às 14h24

 | 

Foto: Divulgação

Imagem de PF interdita fábricas de tradicionais produtores de licor em Cachoeira

Dois dos mais tradicionais fabricantes de licor em Cachoeira, no Recôncavo baiano, as fábricas de ‘Licores do Roque Pinto’ e “Arraiá do Quiabo” foram interditadas pela Polícia Federal nesta terça-feira (21). Técnicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) fiscalizaram as fábricas e realizaram várias exigências.

Ao portal G1, a Associação dos Fabricos de Licor de Cachoeira afirmou que foi estipulado que até 11 de julho os locais precisam seguir as exigências feitas pelo órgão.

O presidente da associação e gestor do fabrico “Licores Roque Pinto”, Roseval Pinto, declarou que o Mapa apontou irregularidades perante o Ministério da Agricultura. Nas visitas anteriores, os técnicos multaram a empresa e disseram que adequações precisavam ser feitas.

A prefeita da cidade, Eliana Gonzaga, afirma que o poder público tem atuado junto à Associação dos Licores e aos fabricantes interditados para tentar reverter a situação.

Dentro das determinações solicitadas pelo Ministério da Agricultura estão:

mudanças no espaço físico dos estabelecimentos;

contrato de um químico responsável, ou engenheiro de produção ou engenheiro químico;

registro junto ao Mapa de cada um dos produtos que os estabelecimentos fabricam;

um documento com a planta do local e uma espécie de inventário de tudo que tem no fabrico (móveis, objetos, quantidade desses objetos, local onde ficam instalados/armazenados).