Seminário em Salvador discute cadeia produtiva do chocolate da cabruca

Foto de Redação Salvador FM

Redação Salvador FM

Bahia

23 de maio de 2024 às 14h56

 | 

Foto: iStock

Imagem de Seminário em Salvador discute cadeia produtiva do chocolate da cabruca

Na Bahia existem pelo menos 100 marcas de chocolate de origem. A economia pulsante da cadeia do cacau e chocolate tem gerado um movimento de qualificação da produção da iguaria. Para contribuir nesse cenário, a Associação dos Produtores de Chocolate do Sul da Bahia (ChocoSul) realiza, nos dias 27 e 28 de maio, em Salvador, o seminário “Chocolate da cabruca, um patrimônio da Bahia”.

A atividade ocorrerá na Unifacs, campus Tancredo Neves, e tem como principal objetivo promover o debate sobre o cenário socioeconômico da cadeia produtiva chocolateira à luz de análises acadêmicas e projeções de especialistas, além de resgatar a importância do chocolate de origem na região Sul da Bahia, exclusivamente nas modalidades bean to bar ou tree to bar. Na oportunidade serão discutidas estratégias para a internacionalização dos chocolates. A programação completa pode ser acessada neste link.

“Por meio do Seminário, esperamos não apenas destacar a importância do chocolate da cabruca como um patrimônio da Bahia, mas também catalisar ações concretas que contribuam para sua valorização, preservação e expansão nos mercados nacional e internacional.”, aposta um dos organizadores e presidente da ChocoSul, Gerson Marques.

O evento reunirá especialistas, produtores, gestores públicos e público interessado para debater os desafios e oportunidades que cercam a cadeia produtiva do chocolate, por meio de palestras, mesas redondas e demonstrações práticas, apresentações de marcas produtoras e network com o comércio da capital baiana.

O seminário conta com o apoio da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), Sebrae, Agência de Internacionalização e Exportação (Aiex) da Unifacs, Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) e Secretaria de Turismo do Governo do Estado da Bahia (Setur).

Para o professor da Unifacs e coordenador da Aiex, Henrique Campos, o seminário é a consolidação dos três pilares da universidade: ensino, pesquisa e extensão. “Discutimos essa atuação integrada nos cursos da Unifacs, no mestrado e no doutorado e temos estudado bastante as cadeias globais e a inserção sustentável do comércio exterior baiano nessas cadeias. Juntos, ensino, pesquisa e extensão com parcerias de outros atores importantes podem contribuir com o desenvolvimento sustentável do Sul da Bahia colocando os produtores de cacau e chocolate em contato direto com o comércio exterior, além de articular com a sociedade e poder público em prol do desenvolvimento integrado.”, ressaltou.

O cacau do Sul da Bahia faz parte da história do Brasil há pelo menos 250 anos e, após os desafios da década de 1980, a região ressurge no cenário nacional como território pujante do cacau com um novo posicionamento enquanto produtora de chocolates finos de origem feitos com amêndoas selecionadas do sistema Cabruca – modelo agroflorestal conhecido em todo o Brasil, uma prática tradicional de cultivo que combina o cultivo de cacau com a preservação da Mata Atlântica.

A ChocoSul

Sediada em Ilhéus, a ChocoSul reúne 22 marcas de produtores de chocolates de origem do sul da Bahia. Ao longo de 10 anos de fundação, essa entidade tem realizado o debate do fortalecimento da cadeia produtiva junto aos atores que mitigam o desenvolvimento regional do sul da Bahia.

Em 2023, seis marcas de chocolates fabricados no Sul da Bahia premiadas pela Academy of Chocolate de Londres, na Inglaterra: Benevides Chocolates, Bem Cacao, Ju Arléo Chocolates, LaLis Chocolateria, Cacau do Céu e Mendoá Chocolates. O produtor Luciano Ramos também foi premiado no Cacao of Excellence, em Amsterdã, na Holanda.

Consumo e produção de chocolates

De acordo com levantamento da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura da Bahia (Seagri), o consumo de chocolate no Brasil per capita médio de 3,5 kg/hab/ano, sendo que a região Sul apresenta 6,8 kg/hab/ano, Nordeste 1,2 kg/hab/ano e o estado de São Paulo é o maior consumidor em termos absolutos com 39%.

O estado da Bahia possui uma área plantada de cacau de aproximadamente 439 mil hectares no Sul da Bahia e cerca de 60% desta área (263 mil hectares) é cultivada por meio do sistema cabruca.
 

Programas

Ver mais

Imagem de Bom Dia Salvador

Bom Dia Salvador

Jeffinho

Agora, às 07h00
Imagem de Bahia Notícias No Ar

Bahia Notícias No Ar

Rebeca Menezes e Maurício Leiro

Depois, às 12h00
Imagem de Tô na Salvador

Tô na Salvador

Ivis Macêdo

Depois, às 13h00
Imagem de Pipoco

Pipoco

Dinho Junior

Depois, às 16h00
Imagem de Pida! Music

Pida! Music

Léo Sampaio

Depois, às 18h00
Imagem de Fora do Plenário

Fora do Plenário

Daniela Prata e Evilásio Junior

Depois, às 19h00
Imagem de A Voz do Brasil

A Voz do Brasil

Depois, às 20h00
Imagem de Sofrência, Samba e Modão

Sofrência, Samba e Modão

Jota P

Depois, às 21h00
Logo da Rádio Salvador FM

Rádio Salvador FM