Bruno nega que Kannário dê trabalho a Neto e cutuca Marcelle

Foto de null

Política

13 de março de 2017 às 11h18

 | 

Foto: 

Imagem de Bruno nega que Kannário dê trabalho a Neto e cutuca Marcelle

Foto: Rodrigo Aguiar/ bahia.ba

Responsável pela articulação política com a Câmara Municipal de Salvador, o vice-prefeito Bruno Reis (PMDB) minimizou tanto a polêmica sobre o vereador Igor Kannário (PHS) quanto as críticas proferidas pela aliada Marcelle Moraes (PV) ao prefeito ACM Neto (DEM).

Em entrevista ao bahia.ba antes do debate sobre a reforma política na Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (13), o peemedebista negou que as declarações do cantor no carnaval, quando chegou a associar o Legislativo ao crime organizado, tenha causado constrangimentos ao Palácio Thomé de Souza.

“O vereador Igor Kannário não está dando trabalho, não. Ele esclareceu de forma clara (sic), inclusive pediu desculpas à Câmara pelas suas palavras. Enfim, o importante é o vereador Igor Kannário estar aprovando os projetos, estar aprovando as matérias de interesse do Executivo”, declarou.

Em relação às cobranças da “protetora dos animais”, que se queixou de tratamento diferenciado destinado ao artista, em detrimento dos demais integrantes da Casa, Reis admitiu que alguns vereadores não foram recebidos por problema de agenda ou, como no caso específico, por impossibilidade da própria edil verde, que “deu bolo” em um encontro marcado.

“O prefeito vem com agenda normal de atendimento. É natural em um início de governo, onde você mudou substancialmente a sua equipe, tenha que se rediscutir as novas equipes, tenha que rediscutir os orçamentos, que dê um pouco mais de atenção à questão administrativa para que a máquina não tenha nenhuma descontinuidade. Mas em nenhum momento [o prefeito] descuidou da parte política. Ele continuou atendendo os vereadores. A vereadora Marcelle, por exemplo, marcou comigo e não pode estar presente para a gente conversar”, revelou.

Segundo Bruno, é mantida uma agenda semanal de atendimentos aos vereadores na prefeitura.

Reprodução/Bahia.ba

Logo da Rádio Salvador FM

Rádio Salvador FM